Apresentação do projeto vencedor

Apresentação do projeto vencedor
Concurso Nacional de Arquitetura para a Sede da FATMA-FAPESC
Ópera Quatro Arquitetura
Arq. Fernanda Ferreira, Arq. Pablo Chakur e Arq. Thiago Nieves

Data: 06 de novembro – quarta-feira.
Horário: 20 horas.
Local: UNISUL – Rua Antônio Dib Mussi, 366. Centro. Florianópolis/SC

Será servido coquetel aos presentes.
Participação gratuita.

Convite-Concurso_IAB-FATMA-FAPESC-APRESENTACAO_

Exposição dos Trabalhos Premiados e Finalistas

Exposição dos Trabalhos Premiados e Finalistas
Concurso Nacional de Arquitetura para a Sede da FATMA-FAPESC
Abertura: 06/11, 20 horas com apresentação do projeto vencedor: Ópera Quatro Arquitetura;
Local: UNISUL – Rua Antônio Dib Mussi, 366. Centro. Florianópolis/SC
Período de visitação: de 06 à 29 de novembro de 2013.

Convite-Concurso_IAB-FATMA-FAPESC-EXPOSICAO_

Identificação da numeração dos projetos

Identificação da numeração dos projetos

RESULTADO DO CONCURSO – 1º LUGAR – PROJETO #46

RESULTADO DO CONCURSO – 1º LUGAR – PROJETO #46
Equipe: Ópera Quatro Arquitetura SS LTDA
Autores: Pablo Chakur, Fernanda Ferreira, Thiago Nieves (responsável técnico)
Colaboradores: , Natália Campos, Leonardo Coelho da Silva (estagiário), Arthur Lara (estagiário),
Consultores: Kauê Fari – sustentabilidade, Edson Kurotsu – sustentabilidade, Cibele Romani – sustentabilidade, Vitor Faustino Pereira – Estrutural S/C Ltda – estrutura, Renato Nogueira de Carvalho – Cryar Eng. E Proj. Ltda – ar-condicionado, Ramoska e Castellani

Memorial (texto fornecido pelos autores)
Premissas
Para se responder às condicionantes programáticas, urbanísticas e topográficas norteamos o partido do edifício, que abrigará a fapesc e a fatma, pelos seguintes critérios:
- respeito ao lugar
Primeiramente, nos preocupamos com o não construído, com o espaço negativo. O edifício deve responder à sociedade e ao meio ambiente sob as condicionantes do lugal.
- definição de uma estratégia de ocupação
01. Inserir urbanisticamente um edifício na paisagem, sem negar quaisquer de suas faces.
02. Integrá-lo à cidade como um espaço disseminador de conhecimento e de proteção ambiental, disponibilizando espaços de convívio e contemplação.
03. Estabelecer clara ocupação do lote, integrada à topografia, resultando em uma intervenção que reforce e valorize a paisagem, os edifícios vizinhos e a escala humana.
04. Decidimos pela não ocupação com a massa edificada na divisa alta-leste do terreno, mantendo cerca de 50% da permeabilidade do terreno e implantamos o edifício na face baixa-oeste.
- regeneração da natureza
Ao mesmo tempo em que a massa construída se contrapõe à massa verde, permite o avanço regenerador da natureza que ocupa os vazios intencionalmente deixados.
Definida a estratégia de ocupação, implantamos a edificação nos baseando nos seguintes pontos:
01.Orientação solar: Evitamos que grandes superfícies de vedação tivessem incidência solar prolongada durante o dia. Desta maneira, orientamos o edifício no sentido norte-sul. No intuito de minimizar a incidência direta do sol da tarde, inclinamos a face oeste da edificação. Desta forma, criamos, também, um espaço que convida o pedestre a entrar no edifício
02. Apropriação das vistas Por estar em uma cota alta, o terreno propicia vistas privilegiadas do mar e dos morros de florianópolis. Assim, incorporamos as diferentes visuais do lugar, no projeto, de forma democrática e as oferecemos aos usuários.
03.Valorização do pedestre promovendo o encontro e a reflexão
A disposição da edificação, além de convidar de forma fluída o pedestre a entrar, gera dois espaços que promovem o convívio e o contato com a natureza instigando a comunidade à reflexão sobre “ o cuidar”.

1o_COLOCADO-46-PRANCHA_01
1o_COLOCADO-46-PRANCHA_02
1o_COLOCADO-46-PRANCHA_03
1o_COLOCADO-46-PRANCHA_04
1o_COLOCADO-46-PRANCHA_05
1o_COLOCADO-46-PRANCHA_06

RESULTADO DO CONCURSO – 2º LUGAR – PROJETO #42

RESULTADO DO CONCURSO – 2º LUGAR – PROJETO #42
Responsável técnico: Arq. Mario Biselli
Colaboradores: Arq. André Biselli Sauaia, Arq. Cassio Oba Osanai, Arq. Paulo Roberto dos Santos, Arq. Débora Pinheiro Rodrigues, Arq. Maria Fernanda Rechi Vita ,Arq. Vinícius Miranda de Figueiredo, Arq. Marcelo Santos Checchia, Arq. Priscila Dianese, Arq. Melina Giannoni de Araújo, Arq. Guilherme Filocomo, Arq. Cassia Lopes Moral;
Consultoria Estrutural – SPPROJECT: Eng. Tiago Braga Abecasis, Eng. Paulo Freire, Eng. Jair Vieira Filho, Eng. Miguel Brazão, Eng. Dário Afonso.
Consultoria em Sustentabilidade: Arq. Boris Villén.
Orçamento: Eng. Ricardo Zulques

Memorial Descritivo Conceitual (texto fornecido pelos autores)
A condição natural de um lugar é sempre única. Topografia, vegetação e condições climáticas nunca se repetem em um sítio.
A área do Parque Tecnológico e o terreno destinado à implantação das sedes da FATMA e FAPESC apresentavam uma singular beleza em sua origem. Resta ao projeto a proposição de uma nova beleza, considerando que a vegetação natural foi perdida.
Esta nova beleza deve partir de um diálogo com a geografia, e com os percursos públicos do campus através do terreno. Deste modo, o projeto se desenha como conciliação entre estes elementos e a arquitetura do edifício.
O Partido arquitetônico propõe uma clara divisão entre a sede da FATMA e da FAPESC, através da introdução de um pavimento livre de acesso público, sem prejuízo da demanda por acessos controlados e da privacidade das áreas de trabalho.
Este movimento se destina a reconstruir a topografia depois das necessárias escavações, e a recuperação dos percursos pedestriais através do sítio. Pode ser compreendido como uma generosidade das instituições que alí estarão instaladas, uma gentileza urbana para com o campus.
Esta decisão de projeto satisfaz a demanda pela criação de interfaces permeáveis entre o espaço público e o privado, de modo a promover a interação entre ambas as esferas*. Também serve quanto ao incentivo à diversidade e complementaridade de usos e atividades urbanos* e quanto ao respeito à paisagem e atenção aos impactos decorrentes da intervenção sobre os visuais da área*, na medida em que o projeto não apresenta externamente muros de arrimo ou empenas cegas. (* Diretrizes urbanístico-arquitetônicas gerais para intervenção – anexo 1 do edital)
Portanto, ao invés de desenhar o Pilotis na cota indicada, nesta cota se implanta a sede da FAPESC – em dois pavimentos – e o saguão principal de altura dupla. Este conjunto se configura como base do conjunto arquitetônico.
O Pilotis se situa na cota 22.50, de maneira que sua acessibilidade integral se torna possível a partir da rua – através de rampa – e das cotas superiores do terreno em sua fronteira sul.
A sede da FATMA se instala em uma torre de 4 pavimentos, isolada da base pelo Pilotis.
A arquitetura do edifício responde à demanda do edital quanto ao caráter icônico, enquanto expressão das atividades desempenhadas pelas instituições e o que representam para o desenvolvimento da sociedade catarinense.
Uma tal expressão recorre inevitavelmente às melhores experiências da arquitetura brasileira, que serve da engenharia estrutural de vanguarda para manifestar-se através do desenho virtuoso de balanços e vãos livres. O edifício é ao mesmo tempo modesto – em seus elementos de linguagem – e exuberante – no que tange à sua expressão estrutural.

2o_COLOCADO-42-PRANCHA_01
2o_COLOCADO-42-PRANCHA_02
2o_COLOCADO-42-PRANCHA_03
2o_COLOCADO-42-PRANCHA_04
2o_COLOCADO-42-PRANCHA_05
2o_COLOCADO-42-PRANCHA_06

RESULTADO DO CONCURSO – 3º LUGAR – PROJETO #29

RESULTADO DO CONCURSO – 3º LUGAR – PROJETO #29
Responsável Técnico pela Equipe: Marcos Alexandre Jobim;
Co-Autores: Leandro Rotolo Soares (arquiteto), Silvana Carlevaro Fedele (arquiteto);
Colaboradores: Adairton de Souza (arquiteto), Diego de Azevedo (arquiteto), Henrique Wosiack Zulian (arquiteto),
Pedro Bazzo Espíndola (arquiteto), Talita Anelize Broering (arquiteta), Vinícius Sordi Libardoni (acadêmico de arquitetura).
Consultores: Consultora Bioclimático: Carolina Carvalho – Arquiteta, Consultor Estrutural: Fabiano Luis Zermiani – Engenheiro Civil (Grande Sul Engenharia)

Memorial (texto fornecido pelos autores)
A solução global adotada no projeto responde a um só tempo às condicionantes impostas pelo site, pelo marco legal existente, pelas premissas que compõem os termos do edital, ao caráter da arquitetura que se pretende para a Sede da Fatma – Fapesc. O que se propõem não é somente um edifício, mas um somatório de soluções que configuram um conjunto arquitetônico. Conformam um todo coeso e relacionado entre suas partes e com a cidade.
Desenvolvemos o projeto arquitetônico para atingir a máxima eficiência em todos âmbitos: ambiental, estrutural e funcional .
As questões da adequação climática, o conforto ambiental e a eficiência energética foram incorporadas ao projeto desde análise do terreno de intervenção que influenciaram decididamente o lançamento do partido, o posicionamento dos itens do programa, a coerência na escolha dos materiais em função das demandas de desempenho energético entre tantas outras escolhas e estratégias.
O Edifício esta concebido para que se imponha como uma referência positiva no contexto de toda a cidade. Também, desde dentro do condômínio, que sua presença fosse respeituosa e harmônica no contexto geral.
O Embasamento esta constituído pelo Pavimento Térreo, Mezanino e Pilotis. Possuirá caráter público e esta concebido para permitir múltiplos usos, espaços de conforto, estar e permanência. Estendem-se entre espaços fechados e abertos e convidam para a sua apropriação. No térreo estará o salão de recepção e foyer que é o âmbito de chegada e através dele se poderá acessar o complexo de eventos constituído pelo auditório e mini-auditório e ao núcleo de circulação vertical. No mezanino localiza-se o café que partindo do espaço interno, lança-se por sobre o auditório em amplo plano para contemplar a paisagem. No pilotis, igualmente dotado de terraços abertos a biblioteca concebida para poder ser utilizada igualmente por todos os usuários do Parctec Alfa.
A Torre constituída por 6 pavimentos recuamos ao máximo além do recuo frontal mínimo. Destaca-se da massa construída ao apoiar-se em somente 4 pilares. Receberá os programas específicos da FATMA nos 4 primeiros pavimentos e da FAPESC nos dois últimos. Sua fachada Oeste, que debruça-se às vistas mais exuberantes possuem espaços de permanência que qualificam os seus espaços interiores.

3o_COLOCADO-29-PRANCHA_01
3o_COLOCADO-29-PRANCHA_02
3o_COLOCADO-29-PRANCHA_03
3o_COLOCADO-29-PRANCHA_04
3o_COLOCADO-29-PRANCHA_05
3o_COLOCADO-29-PRANCHA_06

Ata de Julgamento dos trabalhos

Ata de Julgamento dos trabalhos

Convite Solenidade divulgação resultado concurso

Substituição de Jurado

A Coordenação do Concurso comunica que, em consulta à assessoria jurídica do concurso, constatou-se a impossibilidade de participação dos representantes indicados pela FAPESC ao Júri do Concurso, por não atender ao disposto no item 10.1 do Edital, especificamente por não possuir atribuição para estudo preliminar de arquitetura.

Desta forma comunicamos que o jurado substituto será o arq. Henrique Pimont, conforme correção já feita na publicação da nominata dos jurados.

A Coordenação

Errata na Ata de Recebimento dos Trabalhos

A Coordenação comunica a seguinte correção na ata Ata de Recebimento dos Trabalhos: no início da ata onde consta “24/11/2012 (vinte e quatro de novembro de dois mil e doze)” leia-se “23/11/2012 (vinte e três de novembro de dois mil e doze)” e no final da ata onde consta “25/11 (vinte e cinco de novembro)” leia-se “24/11 (vinte e quatro de novembro)”

A Coordenação